Vantagens e características da alvenaria estrutural


Vantagens e características da alvenaria estrutural , Casa na Vila Ipojuca / 23 SUL. Imagem © Pedro Kok
Casa na Vila Ipojuca / 23 SUL. Imagem © Pedro Kok
ul>

    li>Escrito por Eduardo Souza | Traduzido por José Tomás Franco
  • 21 de Novembro, 2020
div>>div>div> Partilha de Acções

    Facebook
  • Twitter
  • Pinteresse
  • Whatsapp
  • Whatsapp
  • Mail
Or
div>>

div>>div>>cópia “COPY” Copiar

/div>>/div>/div>>/div>>/div>>/div>>/div>

/div>

/div>>/div>/div>>/div>>/div>>/div>>div>>div>>div em Chicago, começou a construção em 1891 e ainda está a ser utilizado sem problemas. O edifício apresenta uma fachada sóbria sem grandes ornamentações e uma altura muito expressiva – na altura – de 16 andares. É considerado o primeiro arranha-céus construído em alvenaria estrutural, com tijolos cerâmicos e uma base de granito. Para suportar toda a carga do edifício, as paredes estruturais no piso térreo têm 1,8 metros de espessura, enquanto que no topo, 46 centímetros. 130 anos depois, este sistema de construção ainda está em voga e permite a construção de edifícios ainda mais altos, com paredes muito mais finas, conseguindo racionalidade e economia na obra. Mas de que se trata a alvenaria estrutural? como pode ser utilizada em projectos arquitectónicos? em que edifícios é recomendado este sistema?

Estudios Terra / Arquitetos Associados. Imagem © Leonardo Finotti
Estudios Terra / Arquitetos Associados. Imagem © Leonardo Finotti

p> O acto de “empilhar” pedras para construir paredes foi utilizado em edifícios icónicos como as pirâmides, o Pártenon, a Grande Muralha da China, a Catedral de Notre Dame e muitos outros. Alguns destes edifícios continuam a intrigar os investigadores sobre a forma como foram construídos e como permanecem de pé. Traçar uma linha temporal para a alvenaria estrutural é abordar a história da arquitectura e das suas grandes obras. Em termos simples, é um sistema de construção em que as paredes do edifício desempenham a função estrutural, utilizando blocos, tijolos ou pedras, de tal forma que se tornam auto-sustentáveis. Empilhados em camadas, os componentes podem ou não ser ligados por um ligante (argamassa), o que afecta fortemente as propriedades mecânicas da parede. Tais argamassas podem ser cal, cimento ou adesivos sintéticos.

bogdanhoda / . Imagem
bogdanhoda / . Imagem
Soraya Plaithong / . Imagem
Soraya Plaithong / . Imagem

Atualmente ainda estão a ser construídas paredes de pedra, mas mais pela estética do que como a única opção viável. Uma série de experiências, investigação e tecnologias tornou possível criar blocos suficientemente fortes e leves para construir facilmente e com grande força. Nos anos 40, os blocos estruturais de alvenaria começaram a ser fabricados industrialmente, e hoje podemos encontrar blocos de cerâmica, betão, solo-cimento ou silico-calcário. Os blocos têm formas que os tornam resistentes a tensões compressivas, e são perfurados para a passagem de betão, reforço, canos de canalização ou condutas eléctricas.

Havaí House / Garoa + Chico Barros. Imagem © Pedro Napolitano Prata
Havaí House / Garoa + Chico Barros. Imagem © Pedro Napolitano Prata

Não parecido com o sistema de vigas e colunas comummente utilizado hoje em dia, a alvenaria estrutural é composta por paredes que distribuem as cargas pelas fundações e, subsequentemente, pelo solo. O sucesso da estrutura será definido pela geometria e disposição destas paredes estruturais, para resistir ao próprio peso da estrutura e às cargas verticais (de ocupação), e às cargas laterais, tais como a acção do vento, por exemplo. É essencial que os planos verticais trabalhem em conjunto para que as cargas sejam distribuídas uniformemente e nenhuma parede se torne demasiado frágil. Isto é conseguido através do correcto dimensionamento dos vãos e espaços, e da localização e determinação das aberturas nos locais certos.

Casa da Meia Encosta / Denis Joelsons + Gabriela Baraúna Uchida. Imagem © Pedro Kok
House of Meia Encosta / Denis Joelsons + Gabriela Baraúna Uchida. Imagem © Pedro Kok
Urbanização do Jardim Vicentina / Vigliecca Associados. Imagem © Leonardo Finotti
Urbanização do Jardim Vicentina / Vigliecca & Associados. Imagem © Leonardo Finotti

A alvenaria estrutural pode ser reforçada ou não reforçada. Enquanto o primeiro tipo é um pouco mais simples, em que as paredes são construídas unicamente através de blocos e argamassa, a alvenaria reforçada é reforçada com armação de aço ou malha, dimensionada para resistir a tensões activas. Estas armaduras são colocadas nas cavidades dos blocos e depois preenchidas com argamassa (um tipo de betão ou argamassa de alta resistência, com alta fluidez).

alguns tipos de blocos. Imagem © Eduardo Souza (ArchDaily)
alguns tipos de blocos. Imagem © Eduardo Souza (ArchDaily)

Diferentes tipos de blocos servem funções específicas num projecto. Existem diferenças em todo o mundo, mas em geral, existem os blocos estruturais comuns (1 e 2), acima mencionados, e os blocos tipo caleira (3), que podem receber armaduras horizontais e betão para formar os vãos (em portas e janelas). Existem também blocos que permitem o encaixe das lajes, identificados por um perfil “J” (4), em que a laje assenta numa das extremidades, proporcionando uma fechadura estrutural e um bom acabamento. A grande regularidade dimensional dos blocos facilita muito o desenvolvimento do projecto e a execução da obra.

Havaí House / Garoa + Chico Barros. Imagem © Pedro Napolitano Prata
Havaí House / Garoa + Chico Barros. Imagem © Pedro Napolitano Prata
Havaí House / Garoa + Chico Barros. Imagem © Pedro Napolitano Prata
Havaí House / Garoa + Chico Barros. Imagem © Pedro Napolitano Prata

As principais vantagens da utilização deste sistema são a rapidez de construção, a redução do uso de madeira, aço e betão, a poupança de tempo e dinheiro, a boa organização no local e uma resistência eficaz ao fogo. O sistema de construção leva também a uma racionalização do projecto e a uma série de outras actividades, tais como instalações eléctricas e hidráulicas. Além disso, a alvenaria tem uma alta resistência à compressão e é geralmente atractiva quando deixada sem revestimento.

Obviamente, as paredes portantes não devem ser removidas sem serem substituídas por outro elemento de função equivalente, o que pode ser uma desvantagem, uma vez que reduz grandemente a flexibilidade do edifício e a possibilidade de fazer alterações radicais à disposição arquitectónica original. Outro problema é que edifícios com uma grande massa, tais como alvenaria estrutural, podem não ser adequados em regiões com elevada actividade sísmica. Nestes casos, é essencial compreender e seguir a legislação local.

Galpões CL / VAGA. Imagem © Pedro Napolitano Prata
© Derek Swalwell
© Derek Swalwell

No presente, há exemplos de edifícios de alvenaria estrutural reforçada com mais de 28 andares. O sistema pode ser adequado para tipologias que vão desde pequenos edifícios unifamiliares a grandes instalações. Em geral, o projecto de alvenaria pressupõe uma integração entre todas as especialidades, e os arquitectos precisam de ter uma posição de liderança e controlo para que a obra funcione correctamente. Obviamente, ter o apoio de engenheiros de estruturas durante o processo é essencial. A alvenaria estrutural não permite a improvisação e alterações de concepção durante a construção. É um sistema estrutural extremamente antigo, mas que, através de sucessivas contribuições tecnológicas, pode ser muito eficaz na construção das cidades do futuro.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *