Ryan Garcia, o novo “menino bonito” com o explosivo canhoto do sul

Boxing é um desporto que quase sempre deixa a sua marca. Golpes, hematomas e até coágulos de sangue, sempre foi associado a homens e mulheres ásperos com nariz achatado. Mas há sempre uma excepção a essa regra, rapazes bonitos como Ryan Garcia.

Um dos exemplos mais próximos e famosos foi o americano, com raízes latinas, Oscar De La Hoya. Campeão olímpico como amador, seis títulos como profissional em diferentes divisões. Ele foi um sucesso tanto dentro como fora do ringue.

O seu rosto esculpido, penteado perfeito e grande sorriso de dentes brancos fizeram dele o centro de qualquer campanha publicitária. Dentro do ringue era um lutador explosivo com um canhoto que se cansava de magoar os seus oponentes, excepto Shane Mosley, que o venceu duas vezes, Bernard Hopkins, Floyd Mayweather Jr, Manny Pacquiao e Felix “Tito” Trinidad.

O tremendo K.O. de #RyanGarcia a Luke Campbell.

Gancho ao fígado a la mexicana! 🇲🇲🇽👏👏👏👏👏
“King Ryan” levantou-se de um 2º round knockdown para terminar o britânico desta forma no 7º.
Que grande luta fomos tratados a #GarciaCampbell 🥊🔥pic.twitter.com/fxczrVqQgd

– Martin Arias (@martinariasm) 3 de Janeiro de 2021

Agora é a vez de outro americano com raízes mexicanas. É Ryan Garcia, um pugilista de 22 anos que no dia 2 de Janeiro ganhou o título provisório de pesos leves do World Boxing Council; derrotando o britânico Luke Campbell por KO.

Ryan Garcia teve uma noite inesquecível. Enfrentou o campeão olímpico de Londres 2012 em bantamweight e apenas na segunda volta provou o sabor amargo da tela. O canhoto do sul era o grande inimigo do jovem americano. Mas essa mesma mão foi a que ele usou para se vingar depois de ter atordoado o seu adversário no sétimo assalto com uma esquerda para o fígado de que não conseguia recuperar.

Campbell colocou o joelho direito sobre a tela para tentar recuperar o fôlego, pois o árbitro deu-lhe uma contagem protectora. Depois ajoelhou-se de ambos os joelhos, o que prefigurou que era para ele e, apesar de ter feito um esforço para se levantar, o árbitro acenou com as mãos para cima para decretar que a luta tinha terminado.

O “Pretty Boy” da Califórnia manteve o seu recorde invicto. Não havia uma multidão de fãs nas bancadas para celebrar a vitória, mas uma banda sonora interna de aclamação era a banda sonora do filme que começou no canto do rapaz em calções de ouro.

Mas de onde vem o novo “rosto de bebé” do boxe?

Tal como milhões de crianças nascidas nos Estados Unidos, Ryan Garcia vem de uma família de imigrantes mexicanos. Lisa, que é agora a sua assistente administrativa, e Henry, que faz parte da sua equipa técnica, deixaram o seu país em busca de uma vida melhor.

Desde criança que ele mostrou talento para o boxe, como muitos dos compatriotas dos seus pais. Ryan Garcia tinha sangue mexicano, embora nunca tenha falado espanhol e o seu pai é quem traduz quando tem de falar depois das lutas.

De acordo com La Nacion da Argentina, Ryan Garcia teve 220 lutas como amador, das quais perdeu cinco. Fez a sua estreia profissional em 2016 com uma vitória em Tijuana contra o mexicano Edgar Meza e depois disso ganhou mais 19 lutas sem derrota.

Como o destino o quisesse, nos seus primeiros dias teve uma forte ligação com Oscar De La Hoya. O antigo pugilista, proprietário da firma Golden Boy, representou-o até Garcia declarar a rebelião e mudar de manipulador; aproximando-se da equipa de Saul “Canelo” Alvarez.

Uma figura nas redes sociais

Ele ainda não é o grande pugilista que derrotou os expoentes máximos, mas Garcia é uma celebridade na Instagram. A sua conta (@kingryan) alcançou oito milhões de seguidores após a sua vitória no sábado em Dallas sobre Luke Campbell.

Os seus posts abundam com fotos dele a treinar e outros a modelar. O seu parceiro “Canelo” Alvarez é outro posto frequente onde raramente usa flanela.

Se o seu boxe andar de mãos dadas com o crescimento das redes sociais, o “menino bonito” em breve deixará de ser uma promessa para se tornar um grande campeão. Embora, segundo as Celebrity Net Worth, Ryan Garcia já tem um património líquido de 10 milhões de dólares.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *