Reflexões

br>Deus testemunha que não há Deus senão Ele, o Beneficente, o Mais Bem-Amado. Toda a recompensa e recompensa são Dele. A quem quer que Ele queira, Ele dá o que quer que Ele queira. Ele é verdadeiramente o Omnipotente, o Todo-Poderoso, a Ajuda em Perigo, o Auto-Subsistente. Nós, em verdade, acreditamos Nele que, na pessoa do Báb, foi enviado pela vontade do único e verdadeiro Deus, o Rei dos Reis, o Todo Louvado.
Nay, juramos fidelidade Àquele que, na época do Mustagháth, está destinado a manifestar-se, bem como àqueles que virão depois d’Ele até ao fim que não tem fim. Não reconhecemos na manifestação de cada um deles, seja exterior ou interior, a manifestação de ninguém, excepto do próprio Deus, se fordes daqueles que compreendem.(Baha’u’llah, Passagens dos Escritos de Baha’u’llah)
Se algum de vós entrar numa cidade, deve tornar-se um centro de atracção, pela sua sinceridade, a sua lealdade e amor, a sua honestidade e fidelidade, a sua veracidade e bondade amorosa para com todos os povos do mundo, para que os habitantes dessa cidade possam exclamar: “Sem dúvida, este homem é bahá’í, pelos seus modos, o seu comportamento, a sua conduta, a sua moral, a sua natureza e disposição, reflectem os atributos dos bahá’ís (1)
É da obediência às instituições que isto tem o estatuto da lei bahá’u’lláh e que é um sinal de lealdade ao Pacto
Aquele que cobre a transgressão procura amizade, mas aquele que divulga o assunto afasta o amigo.(2)
LealdadeSaber este valor sem o qual somos deixados em paz e que devemos viver nós próprios antes de qualquer outra pessoa. Provavelmente ninguém compreende melhor a lealdade do que alguém que alguma vez foi traído.
Todos nós esperamos lealdade dos outros. Ninguém gosta de ser traído, ou de saber que um amigo falou mal de nós. Claro que nos sentimos péssimos quando, após muitos anos a trabalhar para uma empresa, somos despedidos sem pensar em todos os anos em que investimos nela. Detectar lealdade (ou deslealdade) nos outros é fácil, mas como vivo a lealdade? Sei realmente o que é? O que esperam de mim os outros? A lealdade é um dever de reciprocidade, uma obrigação de ter obtido algo rentável. É um compromisso de defender aquilo em que acreditamos e em quem acreditamos. É por isso que o conceito de lealdade é dado em assuntos como a pátria, o trabalho, a família ou a amizade. Quando algo ou alguém nos deu algo de bom, devemos-lhes muito mais do que gratidão; a lealdade é um valor, porque quem quer que seja um traidor permanece sozinho. Devemos ser leais àquilo que nos ajudou: um amigo que nos defendeu, um país que nos acolhe como pátria, uma empresa que nos dá emprego. A lealdade é defender aqueles que nos têm ajudado, “defendendo-os”. Quando somos leais, conseguimos levar a amizade e qualquer outra relação ao seu estágio mais profundo. Todos nós podemos ter um amigo não oficial, ou trabalhar num lugar simplesmente porque somos pagos para o fazer. No entanto, a lealdade implica um compromisso que vai mais fundo: é estar com um amigo através do grosso e do fino, é trabalhar não só porque somos pagos, mas porque temos um compromisso mais profundo com a empresa onde trabalhamos, e com a própria sociedade: respeito que deve existir entre pais e filhos, entre a empresa e os seus empregados, entre amigos, entre estudantes e a sua escola… É necessário reconhecer os valores que as instituições representam ou que as pessoas promovem com as suas ideias e atitudes. Nunca será uma boa ideia para uma pessoa que se preocupa com valores vivos trabalhar num lugar onde haja fraude ou corrupção. – Os valores permanentes devem ser procurados e conhecidos para qualquer situação, caso contrário é-se “leal” enquanto se partilham as mesmas ideias. A pessoa que vive num ambiente de diversão e excessos pouco saudáveis, logo se afastará e começará a falar mal daqueles que deixaram de participar nas suas actividades – A lealdade não é uma consequência de um sentimento afectivo, é o resultado de uma deliberação mental para escolher o que é correcto. Mentir para encobrir as falhas de um amigo (em casa, no trabalho ou na escola) não nos torna leais, mas cúmplices.- Se a realização dos objectivos for colocada como um valor fundamental, perde-se o sentido de cooperação. A pessoa que participa numa actividade apenas devido ao sucesso que tem, abandona facilmente a empresa porque as coisas não correm bem ou simplesmente deixa de obter os benefícios a que estava habituada. -O importante é viver os valores pelo que eles representam, não para as pessoas que em algum momento ditam uma regra. Todo o trabalho deve ser bem feito, não para “parecer bem” com o chefe.com tudo o que foi dito acima veremos que mesmo que não nos apercebamos, as relações que temos sido capazes de manter devem-se em grande parte à experiência do valor da Lealdade. Não basta conhecer os valores, é necessário torná-los conhecidos e reforçá-los para se conseguir uma mudança de atitude, ao fazê-lo, conseguimos amadurecer a amizade e reforçar o afecto. O nosso desejo é servi-los e estamos dispostos a ajudar os nossos irmãos a um nível universal, como diz Efésios 3: 14-21:
O valor da lealdade Provavelmente ninguém compreende melhor a lealdade do que aquele que alguma vez foi traído. Todos esperamos lealdade dos outros. Ninguém gosta de ser traído, ou de saber que um amigo falou mal de nós. Claro que parece terrível quando, após muitos anos a trabalhar para uma empresa, somos despedidos sem pensar em todos os anos que investimos na empresa. A lealdade é uma chave que nos permite ser verdadeiramente bem sucedidos nas nossas relações. A lealdade é um valor que não é fácil de encontrar. É, evidentemente, mais comum que uma pessoa que sabe que pode obter algo de nós para se aproximar de nós e quando deixamos de lhe ser úteis ele simplesmente nos abandona. Não é raro saber que alguém frequenta um grupo adversário porque isso lhe dá mais benefícios. E o que acaba por acontecer é que ninguém confia nesse tipo de pessoa. Podemos ver como atitudes desleais:- Criticar as pessoas, enfatizando os seus defeitos, as suas qualidades limitadas ou o quão mal fazem o seu trabalho.- Falar mal dos nossos chefes, professores ou das instituições que representam.- Revelar as confidências que nos foram feitas.- Reclamar sobre a maneira de ser de alguém e não o ajudar a ultrapassá-la.- Deixar uma amizade por razões injustificadas de pouca importância, tais como a forma como falam, se vestem ou se comportam em público.- O pouco esforço que é feito para fazer um trabalho ou terminá-lo. – Cobrar mais do que o preço acordadoComo vemos, a Lealdade está intimamente relacionada com outros valores tais como Amizade, Respeito, Responsabilidade e Honestidade, entre outros.
Aquele que é fiel numa coisa pequena é fiel também numa coisa importante; e aquele que é injusto numa coisa pequena é injusto também numa coisa importante LC 16, 10
Para contradizer atitudes desleais a fim de ser Leal, é necessário parar e considerar alguns pontos:- Em todas as relações é adquirido um dever com respeito às pessoas. Tal como a confiança e respeito que deve existir entre pais e filhos, a empresa com os seus empregados (os seus clientes mais imediatos) e os seus clientes externos, entre amigos, estudantes em relação à sua escola, etc. É necessário reconhecer os valores que as instituições representam ou que as pessoas promovem com as suas ideias e atitudes. Nunca será uma boa ideia para uma pessoa que se preocupa com valores vivos trabalhar num lugar onde reina a fraude ou corrupção.- Os valores permanentes devem ser procurados e conhecidos para qualquer situação, caso contrário é-se “leal” enquanto se partilham as mesmas ideias. A pessoa que vive num ambiente de diversão e excessos pouco saudáveis, logo se afastará e começará a falar mal daqueles que deixaram de participar nas suas actividades.- A lealdade não é uma consequência de um sentimento afectivo, é o resultado de uma deliberação mental para escolher o que é correcto. Mentir para encobrir as falhas de um amigo (em casa, no trabalho ou na escola) não nos torna leais, mas sim cúmplices. – Se a realização dos objectivos for colocada como um valor fundamental, perde-se o sentido de cooperação. A pessoa que participa numa actividade apenas pelo sucesso que tem, abandona facilmente a empresa porque as coisas não correm bem ou simplesmente deixa de obter os benefícios a que estava acostumado. – O importante é viver os valores pelo que eles representam, não para as pessoas que em algum momento ditam uma regra. Todo o trabalho deve ser bem feito, e não para “parecer bem” ao patrão. Uma pessoa é leal quando permanece ligada ao grupo ou à pessoa com a qual está ligada. Quando protege, apoia e defende os valores (amizade, desporto, família, religião, relações de trabalho com clientes e colegas de trabalho, etc.) que a instituição a que está ligado promove. A ligação: o seu reconhecimento e apreciação dos valores que representa. Com tudo o que foi dito acima, veremos que mesmo sem nos apercebermos, as relações que conseguimos manter devem-se em grande medida à experiência do valor da Lealdade. Não basta conhecer os valores, é necessário torná-los conhecidos e reforçá-los para conseguir uma mudança de atitude, ao fazê-lo, alcançamos a maturidade nas nossas relações de trabalho, amizade e reforçamos o afecto. (3) Existe o CÓDIGO DE LOYALTY e confiança e lealdade familiar
LOYALTY
br>I, o vosso computador, não tenho a capacidade de “trair-vos”, eu seria um “traidor” se faltasse conscientemente ao meu compromisso de vos oferecer os dados que me pedem. Se alguma vez lhe falhar, não me chame “traidor”; consulte antes um técnico informático. Sou apenas uma máquina sem alma e insensível. Não há lugar para “traição” em mim, nem para lealdade, que é a virtude oposta. A lealdade é uma coisa para pessoas leais como você.
Não é fácil explicar o que é a lealdade. Uma vaga ideia que já vos dei, dizendo-vos que o seu oposto é a traição. Mais, embora difícil, vou tentar. Vai ajudar-me? Ao longo da vida, as pessoas associam-se, juntam-se a outras pessoas, grupos, instituições. Quando dizemos que “pertencemos” a tal e tal família, a tal e tal clube, a tal e tal escola, etc., queremos expressar isto: que nos ligámos de uma forma ou de outra a um determinado grupo. Já notou que a palavra “ligação”, “ligação”, “pertença a” é repetida. Isto é fundamental para a lealdade. Não é necessário que esta ligação seja expressa em palavras ou por escrito. Normalmente, as crianças ou amigos não fazem declarações de pertença. A amizade e a família têm laços implícitos, que são implicitamente compreendidos, e isso é suficiente. A lealdade, portanto, é prometer manter os laços que contraímos com os outros (amigos, família, escola, clube, etc.) reforçando e protegendo os valores que neles se encontram (amizade, família, desporto, etc.)
br> Outra forma, mais curta e clara, seria: manter e cumprir a palavra dada. Uma pessoa é leal quando permanece ligada ao grupo ou pessoa com a qual está ligada. Quando protege, apoia e defende os valores (amizade, desporto, família, religião, etc.) promovidos pela instituição a que está ligado. Se num dado momento surgir um conflito, ou seja, não se pode ser leal ao mesmo tempo ao amigo e ao clube, por exemplo, a lealdade deve levar-nos a decidir, de acordo com a maior importância dos valores das instituições em conflito. E uma vez tomada a decisão, devemos explicar, por lealdade à parte que se possa sentir traída, as razões da nossa decisão.
Você será educado na lealdade por:
Desenvolvendo em si mesmo um sentido de honra.
Criando na mente a dignidade dos outros.
Acting with responsibility.
Acting with responsibility.
Por ser constante e fiel no desempenho das suas funções.
Por não fazer batota nos jogos.
Por aceitar de todo o coração as regras da instituição a que está ligado.
Uma pessoa leal garante a estabilidade e o bom funcionamento das instituições. De amizade, acima de tudo. É um pilar firme em que outros se apoiam. Não gostarias de ser assim.
O que devo fazer contigo, ó Efraim? O que devo fazer contigo, ó Judá? A sua lealdade é como a nuvem da manhã e como o orvalho precoce que se desvanece. (4) A confiança produz frequentemente lealdade. Séneca 14 “Não é só convosco que faço este pacto e este juramento solene; 15 é certamente com aquele que hoje está aqui connosco perante o Senhor nosso Deus, e também com aquele que hoje não está aqui connosco”.(5.e outros povos e nações te forem infiéis, mostra-lhes lealdade; se te tratarem injustamente, mostra-lhes justiça; se te afastarem de ti, atrai-os para ti; se te mostrarem inimizade, sê-lhes amigável; se envenenarem as tuas vidas, adoça-lhes a alma; se te ferirem, sê uma salva para as suas feridas. Estes são os atributos do sincero.(6) 275. Procure orientação dos Fundadores “Em circunstância alguma deve ser desencorajado pelo facto de tais dificuldades – mesmo quando resultaram da má conduta ou falta de capacidade e visão de certos membros da comunidade – o levarem a vacilar na sua fé e lealdade básica à Causa. Certamente, por mais preparados que estejam os crentes, quer como professores ou administradores, e por mais elevados que sejam os seus méritos intelectuais e espirituais, nunca devem ser considerados como o padrão pelo qual avaliar e medir a autoridade e missão divina da Fé. É nos próprios Ensinamentos e na vida dos Fundadores da Fé que os crentes devem procurar orientação e inspiração, e só mantendo rigorosamente esta verdadeira atitude é que podem afirmar estabelecer a sua lealdade a Bahá’u’lláh numa base duradoura e inatacável. Deve ser encorajado, portanto, e com vigilante vigilância e incansável esforço, deve esforçar-se por desempenhar plenamente o seu papel no desdobramento gradual desta Divina Ordem Mundial. Abster-se de criticar e murmurar “Em nenhum assunto os ensinamentos bahá’ís são mais enfáticos do que a necessidade de nos abstermos de murmurar e de encontrar falhas com os outros, enquanto que devemos estar sempre ansiosos por descobrir e erradicar as nossas próprias falhas e superar as nossas próprias falhas. “Se professamos lealdade a Bahá’u’lláh, ao nosso amado Mestre e ao nosso amado Guardião, então devemos demonstrar o nosso amor obedecendo a estes ensinamentos explícitos. Os actos, não as palavras, são o que eles exigem, e nenhum fervor no uso de expressões de lealdade e lisonja pode compensar a falta de viver de acordo com o espírito dos ensinamentos”(8) (De uma carta escrita em nome de Shoghi Effendi a um crente, 12/5/1925. The Bahá’í Pattern of Life; p. 40)(livros,Lights of Guidance)
276. Unidade Doutrinal e Unidade Administrativa
“Há dois princípios primários que o Guardião deseja que os amigos tenham sempre em mente e sigam fiel e conscienciosamente. O primeiro é o princípio da lealdade sem reservas e sem reservas à Palavra revelada. Os crentes devem ter o cuidado de não se desviar minimamente dos Ensinamentos. A sua suprema consideração deve ser a salvaguarda da pureza dos princípios, normas e leis da Fé. Este é o único meio pelo qual eles podem esperar manter a unidade orgânica da Causa. Não pode e não deve haver liberais ou conservadores, moderados ou extremistas na Causa. Pois todos estão sujeitos a uma e a mesma lei, que é a Lei de Deus. Esta Lei transcende todas as diferenças, todas as tendências, inclinações e aspirações pessoais ou locais.
“Depois há o princípio da obediência completa e imediata às Assembleias, tanto locais como nacionais. É da responsabilidade destes organismos administrativos bahá’ís permitir à comunidade adquirir e aprofundar cada vez mais o seu conhecimento e compreensão da Causa. A unidade doutrinal e a unidade administrativa são os dois pilares principais que sustentam o edifício da Causa, e o protegem das tempestades de oposição que tão severamente o assaltam. (De uma carta escrita em nome de Shoghi Effendi à Assembleia Espiritual Nacional da Índia e Birmânia, 09/05/1936. Alvorada de um Novo Dia, p. 61)(livros, Guiding Lights)
617. É melhor estar vigilante do que despreparado
“O Guardião sente que a sua atitude de vigilância e lealdade intensa é muito sábia. Em assuntos como o Pacto, é muito melhor estar demasiado vigilante do que demasiado insuspeito. No entanto, ele não pensa que o Sr. (…) carece de firmeza na Fé. Muitos dos bahá’ís, embora leais à Causa e ao Guardião, não compreendem as implicações da Vontade e do Testamento do Mestre e da plena posição dos Guardiães da Causa. Precisam de estudar mais profundamente os aspectos espirituais dos ensinamentos e do próprio Testamento. Isto é o que ele vos aconselhou (…) a fazer” (De uma carta escrita em nome de Shoghi Effendi a um crente, 05/7/1949) (livros, Guiding Lights)
91. O Diabo só quer criar hostilidade e ódio entre vós usando vinho e maysir, e impedir-vos de recordar Alá e de fazer o azálias. Mas se virardes as costas a Alá, obedecei a Alá, obedecei ao Mensageiro, e guardai-vos. Mas se virarem as costas, saibam que cabe ao Nosso Mensageiro apenas uma transmissão clara (Alcorão, O Alcorão Sagrado 5. The Table Set (Al maeda)
A Wider and More Inclusive Loyalty. O amor do próprio país, inculcado e enfatizado pelos ensinamentos do Islão como um “elemento da Fé de Deus”, não é escondido ou prejudicado por esta declaração, esta explosão de trombeta de Bahá’u’lláh. Não deve, nem pode ser interpretado como uma rejeição de um patriotismo saudável e inteligente, nem deve ser visto à luz de uma censura pronunciada contra ele, nem procura minar a lealdade e o apego de qualquer indivíduo ao seu país, nem está em conflito com as legítimas aspirações, deveres e direitos de qualquer Estado ou nação em particular. O que implica e proclama é apenas a inadequação do patriotismo, tendo em conta as mudanças fundamentais efectuadas na vida económica da sociedade e a interdependência das nações, e em consequência da contracção do mundo, devido à revolução nos meios de transporte e comunicação; condições que não existiam e não podiam existir nos dias de Jesus Cristo ou Maomé. Exige uma lealdade mais ampla, que não deve estar, e de facto não está, em conflito com lealdades menores. Instila um amor que, tendo em conta o seu alcance, deve incluir, e não excluir, o amor pelo seu próprio país. Através dessa lealdade que inspira e do amor que incute, lança a única base sobre a qual o conceito de cidadania mundial pode florescer e a estrutura da unificação do mundo pode descansar. Contudo, insiste que as considerações nacionais e os interesses individuais sejam subordinados às exigências imperativas e supremas da humanidade como um todo, pois num mundo de povos e nações interdependentes a parte é melhor servida servindo o todo. O mundo está verdadeiramente a caminhar para o seu destino. A interdependência dos povos e nações da terra é agora um facto, independentemente do que os líderes das forças que dividem o mundo possam dizer ou fazer. A sua unidade na esfera económica é agora compreendida e reconhecida. O bem-estar de uma parte significa o bem-estar do todo, e a miséria de uma parte traz a miséria ao todo. A Revelação de Baha’u’llah, nas Suas próprias palavras, “deu um novo impulso e definiu uma nova direcção” a este vasto processo que agora está a funcionar no mundo. As chamas acendidas por este grande e aflitivo julgamento são uma consequência da incapacidade dos homens de o reconhecerem. Por outro lado, estão a apressar a sua plena realização. Uma adversidade prolongada, mundial e desconsolada, associada ao caos e destruição universal, deve necessariamente convulsionar as nações, abalar a consciência do mundo, desiludir as massas, produzir uma mudança radical na própria concepção da sociedade, e refundir, finalmente, os membros desarticulados e sangrentos da humanidade num só corpo, único, organicamente unido e indivisível.9)
“…. Mas se foi leal, será sempre reconhecido e sobretudo valorizado… “Pensar que se foi leal será reconhecido e valorizado é, pelo menos ingénuo, na realidade é simplesmente falso. Se uma empresa tem de sacrificar alguém “para se manter competitiva”, fá-lo-á sem tocar no seu coração, não é que seja mau ou bom, é simplesmente uma máquina que faz dinheiro, ponto final. Associar qualidades humanas como a lealdade ao funcionário, e portanto exigir a lealdade do funcionário, é simplesmente propagar mentiras. Uma coisa diferente é em certas empresas onde a componente humana de outros interesses ainda pesa muito, por exemplo, em empresas familiares ou empresas com uma certa vocação de serviço, tais como pequenos hospitais ou escolas. Mas a tendência é para que estes desapareçam e para que sobrevivam aqueles que são claros de que o lucro vem primeiro e o resto não existe. A lealdade na universidade não é entendida como obediência cega ao director, mas sim a uma série de princípios, a uma série de valores que todos fazem e mantêm, tanto os colegas estudantes e professores, como os responsáveis pela limpeza, bem como as autoridades. Assim, o professor que mantém uma atitude crítica em relação às autoridades sob os princípios da universidade. A sua percepção de lealdade é a de um cão que tem de lamber a mão do dono. A sua percepção de lealdade é a de um escravo agradecido. Na realidade a lealdade é conquistada, pelo respeito mútuo, pelo compromisso mútuo.
Em resposta a: lealdade um valor que não se compreende (os predadores são traidores
notas de referência:
– 1.- Abdu’l-Bahá, Escritos Seleccionados Ch. XXX)
– 2.- valor da lealdade Contribuição: Francisco Villegas, Tijuana Corporate Consulting
– 4.- OLD TESTAMENT, Hosea 4)
– 5.- OLD TESTAMENT, Deuteronomy)
– 6.’Abdu’l-Bahá, VT, p. 18(books, The Source of All Good) 7.-De uma carta escrita em nome de Shoghi Effendi a um crente, 23/8/1939. Parte cítrica. The Study of the Bahá’í Writings, pp. 108-109) 8. De uma carta escrita em nome de Shoghi Effendi a um crente, 12/5/1925. O Modelo Bahá’í de Vida; p.40)(livros, Luzes de Orientação)
– 9.-Pg. 186 o DIA Prometido chegou
Há o CÓDIGO DE LOYALTY e de Confiança e Lealdade Familiar.Lealdade e Paixão Autora:Consuelo Mariño www.novelasromanticas.com/lealtadypasion.html.LEALTADCOMERCIAL. . La Lealtad www.mecon.gov.ar/secdef/basehome/lealtad_com.htm.LEALTADPOLÍTICA www.wepa.com.gt/mln/lp.html LA LEALTADERSHIP CONTRA LAENVIDIA, de Tirso de Molina (Gabriel Téllez) por Vern Williamsen em 1998. Juramento de Fidelidade ao Juramento de Fidelidade à Pátria do Conservandoel da Bandeira.Solidariedade e Lealdade
TESTE DE COMPREENSÃO INTERACTIVA
– 1.- O oposto de “lealdade” é:
– Não saber retribuir.
– Ignorância.
– Traição.
– Traição.
– 2.- Os laços de amizade e família:
– São sobre-entendidos.
– São escritos.
– São manifestados em palavras.
– 3.- A lealdade leva ao reforço e protecção dos valores do grupo:
– Nunca.
– Sempre.
– Por vezes.
– 4.- Ser consistente com a palavra dada é:
– Lealdade.
– Amizade.
– Nobreza.
– 5.- Uma destas acções não desenvolve lealdade:
– Desenvolver um sentido de honra.
– Respeitar a dignidade dos outros.
– Desenvolver um sentido de humor.
– 6.- Apego a um grupo é manifestado por:
– Palavras.
– Escritos. Não é necessário manifestá-lo.
– 7.- Comprometer-se a manter ligações é:
– Amizade.
– Lealdade.
– Nobreza.
– 8.- Aquele que permanece ligado ao grupo ao qual se ligou é:
– Lealdade.
– Polite.
– Formal.
– 9.- Se surgir um conflito entre duas instituições, é preciso decidir por:
– Aquele que tem o maior número de componentes.
– A que tem valores mais importantes.
– A que é mais influente.
– 10.- Um destes comportamentos não educa a lealdade:
– Mudar de amigos frequentemente.
– Agir responsavelmente.
– Ser constante no cumprimento dos deveres. ( )
( Título de Orientação Psicológica EOS, S .L…. Telefone:(34) 91 554 12 04;Mail: [email protected]
Lima, 8 de Julho de 2004, por Gerson Elias.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *