Os médicos retiram um verme vivo da amígdala de uma mulher

(CNN) – Uma mulher no Japão visitou um médico para uma dor de garganta e ficou surpreendida com um diagnóstico invulgar: um verme estava a viver dentro da sua amígdala.

A mulher de 25 anos foi submetida a um exame físico no Hospital Internacional St. Luke’s em Tóquio depois de ter ficado com dor de garganta e irritação cinco dias depois de comer uma variedade de sashimi, de acordo com um estudo de caso publicado na Sociedade Americana de Medicina e Higiene Tropical.

Doctors identificaram um verme preto, com 3,8 centímetros de comprimento e ainda em movimento, dentro da amígdala esquerda da mulher, e removeram a criatura com uma pinça.

Testes de ADN no verme identificaram-no como uma larva da quarta fase de Pseudoterranova azaras, um verme parasita, o estudo, publicado em Julho, revelou.

O parasita infecta o estômago depois de um hospedeiro ter consumido larvas em peixes marinhos crus ou mal cozidos, de acordo com o estudo, com mais de 700 casos registados no Japão, países do Pacífico Norte, América do Sul e Holanda.

Os resultados das análises ao sangue da mulher foram normais e os seus sintomas melhoraram rapidamente após a remoção do verme, observou a revista.

Físicos e cientistas documentaram infecções semelhantes em pacientes que consumiram pratos de marisco.

Anisakiasis, uma doença causada pelo consumo de peixe ou marisco contaminado por parasitas, está a aumentar nos países ocidentais, onde o sushi e outros mariscos crus ou mal cozidos ganharam popularidade, de acordo com um relatório publicado em 2017 no BMJ Case Reports.

Num caso particular, descobriu-se que um homem de 32 anos, anteriormente saudável, tinha uma membrana intestinal inflamada com um parasita firmemente preso, tendo o seu fim penetrado no estômago, o que foi descoberto depois de o paciente ter sofrido dores intestinais graves, vómitos e uma semana de febre. Durante uma entrevista, o homem disse que tinha comido recentemente sushi.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *