O que o faz sentir vivo?

Publicidade

O que o faz sentir vivo?

Existem milhares de desportos concebidos para nos fazer sentir vivos. Tudo o que põe o coração a mil e cria aquela sensação de adrenalina que nos faz sentir vivos, livres, cheios. Ficamos viciados nesse sentimento, em sentirmo-nos assim. Em suma, estamos viciados em sentir que estamos vivos. Porque, no fim de contas, estamos, não estamos? E não há pior sentimento do que sentir que não somos, quando nos é dada esta maravilhosa oportunidade de viver.

p>Por vezes é difícil ter estes sentimentos, e provocamo-los através de actividades perigosas que aceleram o nosso coração e nos colocam em modo de “perigo”. Nesse momento, sentimos que estamos vivos porque, como espécie, lutaremos sempre para nos mantermos vivos. A sua mente sente que está em perigo e tenta evitá-lo. É por isso que, nesse momento, é o momento em que mais se sente em relação a si. Mas não precisa de colocar a sua vida em perigo para sentir que esta vida tem sentido, para sentir que está vivo. Há formas muito mais saudáveis e naturais de o conseguir.

Porque sentimos que estamos vivos?

É tudo uma questão de emoções e sentimentos. Ao estarmos conscientes de que nos podemos sentir. Qualquer coisa que lhe dê sentimentos vai fazê-lo sentir que está vivo. Não importa o que seja. Apaixonar-se é um dos exemplos mais claros, e é por isso que há pessoas que saltam de relação em relação, procurando aquele primeiro sentimento, viciadas naquela adrenalina que experimentam quando conhecem uma nova pessoa.

Mas não só isso, ver um pequeno sorriso de criança, dar um abraço à sua mãe … se estiver em contacto com os seus sentimentos, qualquer pequena acção fará com que o sinta.

Viagem

Viagem a um novo lugar, onde tudo é diferente. Um lugar exótico que desperta todos os seus sentidos. Ouvir as pessoas falar, prestar atenção à forma como falam, como modulam a sua boca, as pequenas feições no seu rosto e a forma como gesticulam. Não os entendemos quando falam, mas sabemos como se sentem porque estamos a prestar atenção, estamos a reparar neles, nos pequenos detalhes. Como estreitam os olhos, como os cantos dos seus lábios alargam quando acham que disseram algo engraçado e como ficam vermelhos quando se sentem envergonhados.

Conecte-se com as pessoas, descubra como se sentem. Ser capaz de sentir e empatizar com eles, isto irá ajudá-lo a sentir-se mais vivo, a sentir-se ligado a outras pessoas. Ao mesmo tempo, sentir-se-á mais ligado a si próprio, compreender-se-á a si próprio, encontrar-se-à.

-Ouvir música

Quando ouvir uma canção, faça-o em silêncio. De manhã ou à noite, não importa. Mas, se se meter bem, faça-o num lugar onde se esteja no escuro ou iluminado. Não importa, mas tente estar relaxado e consciente do que está a ouvir. As canções falam dos sentimentos das outras pessoas, são pensamentos postos no papel com música para acompanhá-las. Se for capaz de ouvir atentamente uma canção, poderá ser capaz de ligar os seus sentimentos aos sentimentos dessa outra pessoa.

-escrita

É a forma mais fácil de se ligar aos outros e a nós próprios. Por vezes nem sequer se sabe como nos sentimos incapazes de o pôr em palavras e muito menos de o dizer a outra pessoa. Está numa espécie de atordoamento mental de que não consegue sair. Se alguém lhe perguntar: “Como está? Diz-se “bem”. Diz-se sem realmente saber porquê, sem pensar muito no assunto. Numa resposta que sai em modo automático, nada reflexivo.

Nós respondemos bem porque por vezes nem sabemos como nos sentimos e é a primeira coisa que sai.

A escrita ajuda-nos a expressar-nos, a sermos honestos connosco próprios, a sermos capazes de dizer como nos sentimos sem termos medo da reacção dos outros. A leitura do que os outros escrevem ajuda-nos a conectar com os seus sentimentos e a identificar os nossos.

Ser produtivo

Servir objectivos é algo muito saudável e humano. Temos motivações e coisas que queremos alcançar. Objectivos que nos fazem sair da cama todos os dias com um objectivo claro para os atingir.

Quando somos produtivos e conseguimos fazer o que queremos, sentimos uma satisfação connosco próprios que nos faz sentir vivos e propositados. É por isso que é tão importante estabelecer objectivos e levá-los a cabo. Quando estabelecemos muitos objectivos que não somos capazes de atingir, sentimos que não somos capazes de terminar o que nos propusemos fazer, e isso torna negativos os sentimentos que nos chegam até nós. Tentaremos parar estes sentimentos porque nos magoam, pelo que acabaremos por não os sentir.

Ganhar

Ganhar também nos faz sentir bem. Não é mau ser ambicioso. Ganhar faz-nos sentir bem connosco próprios, faz-nos pensar que estamos um passo à frente dos nossos objectivos, que estamos a alcançar. É bom, é sempre com um objectivo claro de nos melhorarmos e não porque outra pessoa perde.

– Falar em frente de muitas pessoas

Quando há muitas pessoas a ouvir-nos, ficamos com os nervos típicos que vêm antes de uma actuação. Se houver muitas pessoas com nervosismo, e o nosso nervosismo também.

Tire vantagem de cada pequena ocasião para falar em público, levante a mão quando perguntar se alguém tem alguma pergunta, arrisca-se a fazer figura de parvo.

Ask aquela pergunta que ninguém faz, talvez por vergonha. Desta forma, mostras-te como és, sem medo, ligas-te ao que estás a pensar e às outras pessoas que pensam da mesma maneira.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *