O amor é acção, não emoção

É isso mesmo pessoas digitais, se não “sentires” o amor não entres em pânico, porque o amor é acção, não emoção.

P>Comecemos pelo exemplo mais claro: os nossos pais. Achas que o pai se sente motivado para comprar a tua lista de compras depois das tuas birras e caprichos? Provavelmente não se sente motivado (feel=emotion) mas fá-lo porque o ama.

Acção mostra amor mesmo que não haja emoção envolvida? Sim, é possível, e também deve ser dito que não há ausência de emoção, não estamos tão polarizados. Vivemos numa sociedade que agora nos motiva para o sensorial. Óculos 3D, realidade aumentada, telefones com ecrãs que reconhecem os nossos polegares, tratamentos capilares para nos sentirmos mais suaves e sedosos, querem vender-nos tudo pela emoção, mas é um perigo viver assim, porque quando as emoções ditam as nossas vidas, andamos numa corda bamba.

Devo confessar, gosto de dormir. Há dias em que não me apetece ir a lado nenhum. Os meus desejos são de ficar debaixo dos cobertores, quente, a desfrutar da manhã, mas se as minhas emoções ditarem o meu dia-a-dia, eu estaria em apuros. As minhas decisões devem basear-se em convicções e motivações claras e não em emoções.

Namorados e casais de marido e mulher ficam aterrorizados quando “já não sentem o mesmo”. Uma vez aconselhei alguém e disse: “É melhor não sentir mais o mesmo, porque quando as borboletas param de voar é o momento preciso para amar”. Amor? “Mas se eu não sentir que não amo”. Errado. Há sentimentos e emoções ligados a cada convicção, mas o amor vai para além disso, é uma acção e uma decisão.

p>A própria Bíblia apresenta-a. O verso mais repetido para prémios nas igrejas, João 3:16, aponta algo chave

Para Deus amou o mundo de tal forma que deu o seu único filho…”

A decisão de amar leva à decisão de agir. Caso contrário seria

Para Deus amou tanto o mundo que Ele sentiu muito amor pelo mundo…”

Para Deus amou tanto o mundo que Ele pensou muito do mundo…”

Para Deus amou tanto o mundo que Ele amou o mundo…” Plop.

Quando decidimos amar, damos um passo, é um acto que o mostra. Por vezes não terá vontade de o fazer, outras vezes as emoções dir-lhe-ão para fazer o contrário, mas lembre-se que o amor é uma acção, não uma emoção.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *