Milhões de pessoas no Texas agora sem água depois de uma nevasca

Milhões de pessoas no Texas estão a sofrer cortes de água depois de uma tempestade mortífera de Inverno ter atingido o estado, causando a quebra de canos e bloqueando as estações de tratamento. Os serviços foram interrompidos e o abastecimento de água foi contaminado.

Autoridades no Texas ordenaram a sete milhões de pessoas – um quarto dos residentes do segundo estado mais populoso do país – que ferverem a água da torneira antes de a beberem devido a danos nas infra-estruturas e canos congelados após dias de baixas temperaturas recordes.

Para segurança e conservação de água/energia, os avisos actuais de fervura de água exigem que se façam muitas actividades essenciais e domésticas de forma diferente. Por favor, siga os passos no gráfico abaixo.
Para @CDCgov dicas de aviso geral de água a ferver e passos de segurança, vá para: https://t.co/K0qIFZkrP4 pic.twitter.com/DnzHVbXYWR

– Texas DSHS (@TexasDSHS) 18 de Fevereiro de 2021

Antes do corte de água, as tempestades de Inverno provocaram cortes de energia generalizados devido a danos na rede eléctrica do estado e nas centrais geradoras, deixando milhões sem energia durante dias.

Texas Gov. Greg Abbott disse quinta-feira que todas as centrais eléctricas do estado estavam de novo em funcionamento, mas centenas de milhares de lares continuam sem electricidade devido à queda de linhas e outros problemas causados pelo frio e pela forte tempestade de Inverno. Mais de 13 milhões de texanos permanecem com falhas de água.

Hospitais em Austin e Houston tiveram de lidar com rupturas no abastecimento de água. “Estamos a trabalhar com os nossos fornecedores para garantir a água necessária aos nossos pacientes, pessoal e operações hospitalares”, disse David Huffstutler, CEO do hospital de Austin St David’s HealthCare, numa declaração.

“Começámos a completar o nosso inventário de água no local na semana passada e os abastecimentos continuam a chegar”, escreveu Huffstutler. “Continuamos a trabalhar com a Câmara Municipal de Austin para resolver a interrupção do fornecimento, mas eles não conseguiram resolver o problema no sistema relacionado com o serviço de água e pressão do nosso hospital”.

Austin Water disse ter conseguido estabilizar as suas estações de tratamento de água na quarta-feira, mas ainda enfrentou “dificuldades significativas” no restabelecimento do abastecimento aos seus clientes.

Hospitais sem água

“Os últimos dois dias têm sido uma loucura…. Tivemos uma inundação; os canos rebentaram num paciente e tivemos de deslocar esse paciente; felizmente, todos estavam bem dispostos”, diz Angelica Baton, enfermeira da UCI no Texas Medical Center em Houston. “Tenho a certeza que cada um está a passar pelo seu próprio inferno, mas estamos certamente a passar por um momento difícil”, diz ela. A sua principal preocupação são os doentes que necessitam de diálise. “Como é que o devemos fazer quando não há água?”.

Uma funcionária do Woman’s Hospital of Texas, em Houston, diz que na quarta-feira de manhã todo o pessoal recebeu a seguinte mensagem de texto: “A todos: estamos em situação de emergência de poupança de água com efeito imediato. Não há água em toda a cidade. Por favor, não descarregar ou executar quaisquer procedimentos não de emergência”.

O funcionário, que pediu para permanecer anónimo, diz ter sentido “preocupação extra” quando recebeu a mensagem de texto. “Já estávamos sobrecarregados por termos de trabalhar no meio de uma tempestade de gelo e longe da família, mais a pandemia … e agora também temos de nos preocupar com a conservação da água no caso de o pior dos cenários acontecer”.

O Guardian tentou contactar funcionários do Texas Medical Center em Houston e do Woman’s Hospital of Texas em Houston.

A pressão da água caiu em todo o estado. De acordo com Toby Baker, director executivo da Comissão de Qualidade Ambiental do Texas, muitos residentes estão a deixar as suas torneiras a funcionar na esperança de que isso impeça o congelamento dos tubos. O governador Abbott pediu aos vizinhos que desligassem o espigão nas suas casas, se possível, para assegurar a pressão nos sistemas municipais e evitar que mais tubos rebentem.

Snow as a solution

Na sua 19ª semana de gravidez, Lisa Gerow tem estado a ajudar o seu marido a limpar a neve desde que a sua casa de San Antonio ficou sem água na terça-feira à noite. No início, foi um processo lento, porque a neve recolhida só era suficiente para que eles puxassem o autoclismo uma vez, mas na quinta-feira já tinham uma banheira cheia numa sala graças à neve derretida.

“Somos como os velhos pioneiros, saindo e recolhendo neve no frio da noite”, diz Gerow. “Em comparação com outras pessoas, o nosso não tem sido assim tão mau”.

Gerow e o seu marido estão a usar água engarrafada para escovar os dentes e lavar as mãos, bem como para regar o seu cão. Têm uma reserva de água com gás e sabores diferentes para beber. A última vez que tomaram banho foi na segunda-feira à noite antes de se deitarem.

“Honestamente, estou grato por ultrapassar isto durante a gravidez e não com um recém-nascido a tentar mantê-lo quente”, diz Gerow. “Com a coisa da água para fazer leite em pó e todas as outras coisas que ainda nem sei se vou precisar”.

Austin vizinha Audrey Hartman acredita que ela ainda é leve graças à sua proximidade com um hospital. Mas na quarta-feira de manhã os canos da sua casa rebentaram. “A minha mulher e eu estávamos na cama e acordámos e pudemos ouvir a água a correr”, diz ela. Preparando-se para esse momento, ela tinha enchido cada garrafa de água ao seu alcance, uma previsão para a qual agora se considera sortuda. “Estou bastante zangado, mas por causa do que está a acontecer aos outros. Estou indignada com a situação geral no Texas”, diz ela.

As condições meteorológicas perturbaram o abastecimento de água noutras cidades do sul, incluindo Nova Orleães e Shreveport, Louisiana. Segundo a estação de televisão Shreveport KSLA, os camiões dos bombeiros da cidade trouxeram água para vários hospitais e água engarrafada está a ser entregue aos pacientes e ao pessoal.

Meanwhile, milhares de texanos estão a lidar com danos causados pela água nas suas casas. Nelson Garcia teve tubos rebentados na sua casa de Houston na terça-feira, inundando quase todas as divisões. “Vi água a sair do tecto – desliguei a torneira mas já havia muitos danos…. Sem olhar muito de perto, já encontrei cerca de 10 buracos nos tubos de cobre”, diz ele.

Garcia pensou em tirar a água de casa usando uma máquina da sua empresa de limpeza de carpetes, mas antes de poder ligar a corrente eléctrica foi-se abaixo. Mudou-se com a sua mulher e três filhos para a casa de um amigo da família. Estão confiantes de que o seguro irá cobrir os danos. “Um amigo que faz remodelações disse-me que vou facilmente entrar em reparações no valor de $20.000, e não tenho esse tipo de dinheiro no banco”.

Katie Liu e Carl Nunziato dormiam em casa de amigos desde que a sua casa em Austin perdeu o poder na noite de domingo. Quando foram verificar a sua casa na quarta-feira, a electricidade voltou a acender-se, as luzes acenderam-se e dois canos rebentaram.

A inundação estava debaixo da casa, e numa loja de bricolage aberta puderam comprar material para a reparar. “Não foi divertido, mas conseguimos fazê-lo”, diz Nunziato.

As prateleiras da Natural Grocers em Austin. Basicamente não há água, e a comida enlatada está a ir depressa. Mas as pessoas continuam a fazer fila fora da porta, à espera, numa queda de neve fresca, de apanharem o que puderem antes de desaparecer. pic.twitter.com/ugFlq4PG3p

– Alexandra Villarreal (@allyevillarreal) 18 de Fevereiro de 2021

Com a despensa esgotada após dias de partilha com outros, na quinta-feira, apesar da queda de neve, eles alinharam na mercearia local. “Queríamos mesmo obter qualquer coisa de substância para além de macarrão”, diz Liu.

Na loja, os clientes poderiam usar as torneiras para encher os recipientes com água. Atenção, antes de o beberem terão de o ferver.

Traduzido por Francisco de Zárate

Além disso, terão de o ferver antes de o beberem.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *