LUDER BANDS (Português)

br>TITULO: ……………………INVESTIGAÇÃO SOBRE PROBETOS FLATOS (LUDER BAND FORMATION)
NOME: VALDEZ ORTIZ PABLO ISRAEL
GRUPO: 3IV16
MATTER:…….RESISTÊNCIA QUÍMICA E MECÂNICA DOS MATERIAIS
INDEX- ABSTRACT: ……………………………………………………………………………………….PAGE. 3
-INTRODUCTION…………………………………………………………………………………..PAGE. 3
-MATERIAIS E MÉTODOS……………………………………………………………………..PAGE 6
-RESULTADOS E DISCUSSÃO…………………………………………………………………..PAGE 7
-REFERÊNCIAS …………………………………………………………………………………….PAGE 12
Abstract. O aparecimento de bandas Lüders em aços com baixo teor de carbono é um fenómeno amplamente conhecido e investigado
Estudos que vão desde a natureza das bandas até aos aspectos cinéticos associados à formação e propagação das bandas. No entanto, a análise desta instabilidade plástica através de técnicas numéricas ainda é pouco explorada.
o número de bandas nucleadas e o modo de propagação é influenciado pelo valor limite inicial de fluência da curva de entrada sempre que o método, que afecta as características de fluxo do mesmo nível.
.
1. INTRODUÇÃO
Faixas de Lüders são regiões de encontro de deformação plástica, nucleação e propagação produzem o chamado fluxo do processo batch, também conhecido como efeito Piorbet,
Fenómenos observados em alguns materiais metálicos durante a transição do comportamento elástico para o comportamento plástico estão classicamente associados à interacção de deslocamentos com átomos de soluto intersticiais, que actuam para os imobilizar com a formação de atmosferas
(1,2)
em posições de energia mais baixas na malha de cristal. Inicialmente, observa-se
Ocorrência do limite superior decaudal, o que corresponde à libertação de desacordos numa determinada região metálica. Depois há o fluxo limite inferior equivalente à tensão necessária para mover estes defeitos lineares multiplicadores. A partir deste momento, são exibidos valores de fluxo irregular ou quase constantes de tensão, dependendo se uma única banda, estendendo-se por todo o metal, ou diversos desenvolvidos. As bandas são formadas, cada conjunto caracterizando a nucleação/propagação de uma porção aliasing da curva tensão-deformação
As bandas de Lüders são bandas de deformação plástica que aparecem em alguns metais, tais como aços com baixo teor de carbono ou algumas ligas de alumínio-magnésio, quando sujeitos a tensão de tracção. O fenómeno foi primeiro descrito por Guillaume Piobert e W. Lüders.
A formação das bandas Lüders depende, por um lado, das características microscópicas, tais como o tamanho do grão e a estrutura cristalina, e por outro lado, da geometria macroscópica da peça. Um exemplo desta última é o facto de uma barra de aço com uma secção transversal quadrada sujeita a tensão longitudinal tender a desenvolver mais bandas Lüders do que uma barra do mesmo material, mas com uma secção transversal circular.
Quando uma amostra de tracção é testada, a formação de uma banda de Lüders é precedida por plastificação seguida por uma queda de tensão. A banda aparece então a separar uma região que está plasticamente deformada de uma região que não está plasticamente deformada. A banda propaga-se à medida que a estirpe aumenta. A banda Lüders aparece normalmente numa extremidade do espécime e propaga-se para a outra extremidade. A frente visível está normalmente localizada numa linha recta formando um ângulo entre 50° e 55° com a direcção de aplicação da carga e propaga-se ao longo do espécime. À medida que a tira se propaga, a curva de formação de tensão nominal permanece horizontal. Uma vez terminada a tira…

Ler o papel completo

Registar-se para ler o papel completo.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *