Leo Costa, vencedor da 55ª Olimpíada Espanhola de Matemática

Um Valenciano, o melhor em Matemática

Um Valenciano, o melhor em Matemática

O estudante valenciano Leonardo Costa Lesage, aluno da escola de Santa Cruz em Mislata, foi proclamado o vencedor global da 55ª Olimpíada Espanhola de Matemática realizada em Orense. Além disso, a delegação valenciana, recebeu duas medalhas de prata graças a Javier Nistal, estudante de Jesuitas de Alicante, e Hector Sanchis, da Escola Alemã de Valência.

Leo Costa foi um dos vencedores dos seis ouros premiados no concurso matemático, e tendo alcançado a pontuação mais alta de todos os participantes, fez dele o vencedor geral. Nesta Olimpíada de conhecimentos matemáticos, participam estudantes do 1º e 2º ano de Bachillerato e estudantes do 4º ano de ESO de talento excepcional nesta área. De facto, Leo é estudante neste ano do ensino secundário.

Costa e três outros participantes valencianos nesta edição das Olimpíadas Espanholas de Matemática estão a ser formados no projecto Estalmat para a Estimulação do Talento Matemático, na Universidade de Valência. No caso do vencedor geral, ele tem seguido este programa desde os 12 anos de idade, o que o levou a ser o primeiro estudante de ESO valenciano a conseguir tal proeza.

O projecto Estimulação do Talento Matemático (Estalmat) é uma iniciativa da Academia Real de Ciências Exactas, Físicas e Naturais que trata da detecção, orientação e estimulação do talento matemático em estudantes com idades entre os 12 e os 13 anos sem os retirar do seu ambiente. O projecto conta desde o seu início com o apoio institucional da Universidade de Valência, da Universidade de Alicante, da UJI (Universitat Jaume I de Castelló), do Consejo Superior de Investigaciones Científicas (CSIC) e da SEMCV (Societat d’Educació Matemàtica de la Comunitat Valenciana Al-Khwarizmi). O CV Estalmat é coordenado desde a sua criação na Comunidade Valenciana há 12 anos pelo ex-reitor e professor da Faculdade de Matemática da UV, Rafael Crespo, e formou 300 estudantes em mais de doze promoções.

Vale a pena recordar que há dois anos, outro valenciano Rafah Hajjar Muñoz (Casinos, 1999) ganhou ouro nas Olimpíadas Matemáticas de 2017, o que fez dele o primeiro valenciano a alcançar este prémio desde 1999, o seu ano de nascimento.

A cidade de Ourense acolheu as rondas finais da Olimpíada Matemática Espanhola (OME) que, na sua 55ª edição, vem com a maior proporção de raparigas registadas até à data. A delegação valenciana, com seis estudantes do ensino secundário, foi a quarta maior.

Ferrán Cortés Pérez de Altea, Leonardo Costa Lesage da escola Santa Cruz de Mislata, Abel Doñate Muñoz de Elda, Javier Nistal Salas de Alicante, Héctor Sanchis Pérez do Colégio Alemán de València e Roberto Vergara Sanchis de Castelló eram os membros da delegação valenciana.

Há dez jovens mulheres que competiram com 68 outros estudantes do ensino secundário e 4º da ESO, um número que excedeu a participação do ano passado (quando eram apenas quatro) e aumentou a sua representação acima dos 10% do total.

“Esta barreira parecia intransponível e contribuiu sem dúvida para ultrapassar a participação espanhola, durante quatro anos, nas Olimpíadas Europeias das Mulheres”, disse a presidente da Comissão Olimpíada do RSME, Maria Gaspar.

A Real Sociedade Espanhola de Matemática (RSME) organizou, com a colaboração da Universidade de Santiago de Compostela e o apoio da Diputación de Ourense, este evento realizado no Centro Cultural Marcos Valcárcel.

Dos 78 concorrentes, 53 estão no 2º ano de Bachillerato, 21 estão no 1º ano de Bachillerato e outros quatro estão a estudar o 4º ano de ESO em Ciudad Real, Huelva, Jaén e Valência (no ano passado houve apenas um neste curso).

A maior delegação correspondeu à Andaluzia, com 12 alunos, enquanto a Catalunha e Madrid tiveram nove cada. À Comunitat Valenciana corresponderam mais seis, enquanto o resto das comunidades levou três estudantes, excepto Ceuta e Melilla, com um representante cada.

As dez raparigas eram da Andaluzia, Astúrias, Cantábria, Catalunha, Estremadura, Galiza, Canárias, Melilla, Navarra e do País Basco. Pela primeira vez, também competiu um estudante de um centro espanhol no estrangeiro, especificamente de Moscovo (Rússia), que fez as provas da fase local sob a supervisão da Embaixada de Espanha.

Esta fase nacional atribuiu medalhas de ouro (6), prata (12) e bronze (18) aos 36 primeiros classificados. Os seis estudantes que obtiveram a Medalha de Ouro farão parte da equipa olímpica espanhola na 60ª Olimpíada Internacional de Matemática, que terá lugar em Bath (UK) de 15 a 21 de Julho de 2019.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *