Gastrotheca riobambae (Português)

Ficam em ramos ou folhas de preferência perto de água, de onde perseguem as suas presas. Graças aos seus longos membros posteriores, podem dar grandes saltos e mover-se facilmente de um ramo para outro. Na estação das chuvas os machos coaxam e emitem um som forte com a ajuda do saco gular, que é uma espécie de barbela de orvalho que os machos possuem.

A fêmea liberta vários ovos que o macho fertiliza. Depois o macho, com as suas patas traseiras, introduze-as numa bolsa nas costas da fêmea (marsupium). Dentro desta cavidade, cada ovo tem a sua própria membrana protectora que permite a troca de gases e nutrientes; muito semelhante ao que acontece com a placenta nos mamíferos.

A mãe transporta entre 100 e 130 embriões, até a eclosão dos girinos (cada ovo tem 3 mm. de diâmetro). Após cerca de três meses, a mãe extrai os girinos um de cada vez, com os dedos dos pés das patas traseiras. Os girinos recém nascidos têm brânquias externas invisíveis que lhes permitem respirar, depois estas tornam-se internas.

p>Os girinos alimentam-se de matéria vegetal e resíduos. Enquanto os sapos adultos caçam pequenos insectos, vertebrados e outros, mantendo assim o controlo de pragas e pragas.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *