Documentos TV oferece um relatório sobre esterilizações em massa nos EUA

De 1905 a 1972, 70.000 cidadãos dos EUA foram esterilizados contra a sua vontade. Pobres, pequenos ladrões, mães solteiras, órfãos eram “socialmente inadequados e impróprios para a reprodução, afirma o relatório oferecido hoje pelo La 2 em Documentos TV. Apenas o Sanatório de Lynchburg na Virgínia, que empreendeu um plano eugénico em 1927, deixou 8.000 indivíduos inúteis e recebeu felicitações até de Hitler. Os meios de comunicação social descobriram The Lynchburg Story nos anos 80, e em 1993, após extensa pesquisa, uma equipa de televisão transformou-a numa reportagem de 52 minutos.

O programa abre com imagens a preto e branco de jovens com aspecto chocado, alguns com cabeças rapadas e apertadas como que por calor. Ilustram dados concretos oferecidos por uma locução. Depois alguns edifícios aparecem numa paisagem idílica, no estado da Virgínia, mas o que se segue mostra que durante 60 anos existiu a casa dos horrores. Uma mulher idosa, Mary Donald, começa a contar o que ela, aos 16 anos de idade, e os seus dois irmãos adolescentes sofreram no sanatório de Lynchburg: foram esterilizados “por causa da nossa saúde”. Sabiam que eram pobres, mas para o estado da Virgínia eram “débeis de espírito” e portanto “socialmente inadequados”. A mulher conta a sua história lentamente, com o mesmo ritmo do relatório, da realidade sem espectáculo, sem choques ou reproduções de carnificina.

p>Os protagonistas contam o seu passado com fortaleza, como se participassem num acordo colectivo para desvendar as misérias da sociedade americana.

Este belo exemplo de jornalismo de investigação percorre a cena e os arquivos, e envolve aqueles que tornaram possível o caso Lynchburg através das páginas do jornal da Virgínia The Richmond Times-Dispatch e através da tenacidade da Associação Americana das Liberdades Civis.

The Lynchburg Story, dirigido por Stephen Trombley, é uma produção da Discovery Networks e da rede britânica Channel Four, com a participação da France 2, LE-TV2 Finland e TV2 Denmark.

* Este artigo apareceu na edição impressa de 0001, 01 de Fevereiro de 1995.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *