Cirugía por lesiones cáusticas del tracto gastrointestinal superior (Português)

1. Cheng HT, Cheng CL, Lin CH, et al. Ingestão cáustica em adultos: o papel da classificação endoscópica na previsão do resultado. BMC Gastroenterol. 2008;8:31.
2. Hugh TB, Kelly MD. Ingestão corrosiva e o cirurgião. J Am Coll Surg. 1999;189:508-522.
3. Keh SM, Onyekwelu N, McManus K, et al. Lesão corrosiva do tracto gastrointestinal superior: ainda um grande dilema cirúrgico. Mundo J Gastroenterol. 2006;12:5223–5228.
4. Ramasamy K, Gumaste VV. Ingestão corrosiva em adultos. J Clin Gastroenterol. 2003;37:119–124.
5. Zargar SA, Kochhar R, Nagi B, et al. Ingestão de ácidos corrosivos. Espectro de lesão do tracto gastrointestinal superior e história natural. Gastroenterologia. 1989;97:702–707.
6. Andreoni B, Farina ML, Biffi R, et al. Perfuração esofágica e lesão cáustica: gestão de emergência da ingestão cáustica. Dis Esophagus. 1997;10:95–100.
7. Cattan P, Munoz-Bongrand N, Berney T, et al. Cirurgia extensiva do abdómen após ingestão cáustica. Ann Surg. 2000;231:519-523.
8. Estrera A, Taylor W, Mills LJ, et al. Queimaduras corrosivas do esófago e do estômago: uma recomendação para uma abordagem cirúrgica agressiva. Ann Thorac Surg. 1986;41:276-283.
9. Landen S, Wu MH, Jeng LB, et al. Pancreaticoduodenal necrosis due to caustic burnns. Acta Chir Belg. 2000;100:205–209.
10. Wu MH, Lai WW, Hwang TL, et al. Resultados cirúrgicos de lesões corrosivas envolvendo o esófago ao jejuno. Hepatogastroenterologia. 1996;43:846–850.
11. Chien KY, Wang PY, Lu KS. Esofagoplastia para a restrição corrosiva do esófago: uma análise de 60 casos. Ann Surg. 1974;179:510-515.
12. Gerzic ZB, Knezevic JB, Milicevic MN, et al. Esophagocoloplasty na gestão de estrangulamentos pós-corrosivos do esôfago. Ann Surg. 1990;211:329-336.
13. Hong PW, Seel DJ, Dietrick RB. A utilização do cólon no tratamento cirúrgico da estrictura benigna do esófago. Ann Surg. 1964;160:202-209.
14. Mansour KA, Bryan FC, Carlson GW. Interposição intestinal para substituição do esófago: vinte e cinco anos de experiência. Ann Thorac Surg. 1997;64:752-756.
15. O’Donnell CH, Abbott WE, Hirshfeld JW. Tratamento cirúrgico da gastrite corrosiva. Am J Surg. 1949;78:251-255.
16. Bothereau H, Munoz-Bongrand N, Lambert B, et al. Reconstrução esofágica após lesão cáustica: ainda existe um lugar para a coloplastia direita? Am J Surg. 2007;193:660-664.
17. Glasgow JC, Cannon JP, Elkins RC. Colon interposition for benign esophageal disease. Am J Surg. 1979;137:175-179.
18. Thomas P, Fuentes P, Giudicelli R, et al. Interposição de cólon para a substituição do esófago: indicações actuais e função a longo prazo. Ann Thorac Surg. 1997;64:757-764.
19. Wain JC, Wright CD, Kuo EY, et al. Interposição de cólon de segmento longo para a doença esofágica adquirida. Ann Thorac Surg. 1999;67:313-317; discussão 317-318.
20. Munoz-Bongrand N, Gornet JM, Sarfati E. Gestão diagnóstica e terapêutica das queimaduras cáusticas digestivas . J Chir (Paris). 2002;139:72–76.
21. Lefrancois M, Gaujoux S, Resche-Rigon M, et al. Oesofagogastrectomia e pancreatoduodenectomia por lesão cáustica. Br J Surg. 2011;98:983-990.
22. Sarfati E, Jacob L, Servant JM, et al. Necrose traqueobrônquica após ingestão cáustica. J Thorac Cardiovasc Surg. 1992;103:412-413.
23. Chirica M, Veyrie N, Munoz-Bongrand N, et al. Morbilidade tardia após interposição de cólon para lesão esofágica corrosiva: factores de risco, gestão, e resultado. Uma experiência de 20 anos. Ann Surg. 2010;252:271-280.
24. Therneau TM, Grambsch TM. Modelação de dados de sobrevivência: Ampliação do Modelo Cox. Capítulo 5. Springer; 2000:99-126.
25. Daly L. Macros SAS simples para o cálculo dos limites exactos de confiança binomial e Poisson. Comput Biol Med. 1992;22:351–361.
26. Liddell FD. Análise exacta simples da taxa de mortalidade normalizada. J Epidemiol Saúde Comunitária. 1984;38:85–88.
27. http://www.ined.fr/fr/pop_chiffres/france/mortalite_causes_deces/deces_sexe_age. Acedido a 27 de Maio de 2011.
28. Le Cessie S, Van Houwelingen J. Um teste de ajuste para modelos de regressão binária, baseado em métodos de suavização. Biometria. 1991;47:1267–1282.
29. Gumaste VV, Dave PB. Ingestão de substâncias corrosivas por adultos. Am J Gastroenterol. 1992;87:1–5.
30. Leape LL, Ashcraft KW, Scarpelli DG, et al. Hazard to health-liquid lye. N Engl J Med. 1971;284:578-581
<

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *