BENEFÍCIOS DIFERENTES TIPOS DE SOLOS PARA CORRER

Existe uma vasta gama de pisos onde podemos correr, cada um tem diferentes vantagens e desvantagens que são importantes para conhecê-los para evitar lesões e tirar partido dos benefícios de cada um.

P>Aparar pisos diferentes como opção nos nossos treinos permite-nos estar mais preparados para as mudanças que temos de fazer para o desconforto, condições meteorológicas, ou outras causas.

Nesta nota abordaremos as principais para que tenha uma orientação sobre o assunto:

ASPHALT

Aspalto é o piso mais duro e não é recomendado correr muitos quilómetros por semana para evitar lesões, especialmente se sofrer de periostite, má musculatura, ou excesso de peso.

Embora isto a maioria das corridas são feitas neste pavimento e tem a vantagem de ter uma tracção muito boa para o impulso e estabilidade da corrida.

É por isso que é recomendado que se vai fazer alguma corrida de rua pratique neste pavimento, mas que não é a quilometragem mais alta da semana.

Recomenda-se também a sua maior utilização se tiver apenas perto dos seus solos domésticos não muito planos, o asfalto permite-lhe correr com um passo muito próximo do solo, enquanto que em terrenos pedregosos como exemplo terá de aumentar o salto no passo, e terá mais impacto no seu joelho.

SAND

A areia da praia é um terreno muito instável para um corredor, não se recomenda a sua utilização para além de correr à beira-mar em terrenos mais duros com ténis e com pouca inclinação.

As hipóteses de lesão são demasiadas, bem como de sofrer desequilíbrios musculares, só tem o benefício como solo para trabalhar a parte proprioceptiva do piso.

Terra

Tudo o solo plano ou semelhante é aquele em que devemos correr mais milhas por semana.

O impacto é menor, permite-nos, com tracção adequada, avançar confortáveis e estáveis.

O importante é procurar terreno plano sem muitas pedras ou encostas que nos façam mudar de ritmo ou ter a possibilidade de ferimentos por pisar errado.

TRUNNING TAPE

A passadeira tem a qualidade de ser o terreno mais macio para correr, ideal para dias de chuva forte ou calor.

Permite-nos também mudar facilmente de inclinação ao correr, ou medir o nosso ritmo, tal como o pulso.

Não é recomendado fazer mais de metade da quilometragem numa passadeira à medida que perdemos o sentido natural da corrida, e também nos tornamos muito monótonos.

TRACK

A pista é um piso duro, mas que nos permite um maior ressalto e tracção ao correr, ideal para trabalhos em série de velocidade que são curtos e que procuram trabalhar a técnica de corrida, mas não é recomendado fazer a quilometragem na mesma pela sua dureza e monotonia.

CESPED

Uma relva uniforme pode ser de grande utilidade para muitos corredores que têm excesso de peso ou uma fraca musculatura de corrida devido à suavidade.

Tem que se a desvantagem de cobrir muitos buracos ou desníveis que nos podem causar algum dano, bem como se está húmido ser muitas vezes muito escorregadio sem nos permitir empurrar bem na banda de rodagem.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *