Aborto legal: uma intervenção de rua para exigir o tratamento da lei

Da Campanha Nacional pelo Direito ao Aborto Legal, Mar del Plata Regional Seguro e Gratuito realizou uma intervenção de rua na segunda-feira para exigir que o projecto seja tratado Interrupção Voluntária da Gravidez (IVE). Enquanto no início deste ano o governo nacional se comprometeu a levantar o seu projecto no Congresso, a emergência sanitária devida ao coronavírus adiou a exigência.

“Há 15 anos que lutamos por uma lei que é uma questão de saúde pública. Neste contexto de emergência sanitária, os obstáculos no acesso à saúde sexual e (não) reprodutiva estão a aprofundar-se”, disse aqueles que compõem a Campaña Nacionalpor el Derecho al Aborto Legal, Seguro y Gratuito regional Mar del Plata.

Até à falta de tratamento e progresso do projecto da Lei de Interrupção Voluntária da Gravidez, a partir da campanha nacional têm vindo a realizar várias acções para tornar a situação visível e esta segunda-feira foi organizada uma intervenção de rua, cumprindo medidas de distanciamento social e uso de máscaras, em frente ao Município de Mar del Plata para exigir um tratamento “iminente”.

A intervenção consistiu em colocar uma cadeira vazia, com o lenço da Campanha para cada um dos anos em que a conta foi apresentada.

Neste quadro, os representantes da campanha nacional reafirmaram o seu empenho em “a luta para exigir o reconhecimento do nosso direito de decidir hoje e sempre”.

Como têm vindo a assinalar ao longo destes anos, e particularmente neste 2020, observaram que a legalização do aborto é uma questão de saúde pública e uma dívida da democracia para com as mulheres e as pessoas com capacidade para gestar. “Este 2020, Sr. Presidente, senadores, deputados, deputados, exigimos o aborto legal, seguro e livre”, concluíram eles.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *