A alma mediterrânica da salada grega

Continuando com uma salada especial esta semana na secção Gastronomia de A Estrela do Panamá, não podemos deixar de fora um prato cuja simplicidade e acessibilidade fazem dele uma das saladas mais apreciadas.

Esta é a salada grega (em grego horiatiki salata), que é feita na Grécia com os ingredientes característicos deste país mediterrânico.

A receita original consiste em tomate, pepino, azeitonas kalamata pretas e cebola vermelha, tudo coberto com queijo feta cortado em cubos, sal, pimenta preta, e orégãos, e preparado com azeite.

Apesar do que a maioria das pessoas pensa, a alface é muito rara na salada grega. No entanto, existe uma salada variante na Grécia que consiste em alface, cebolinha, e endro fresco, tudo preparado com azeite e vinagre ou sumo de limão.

Embora não haja autor ou data de criação desta salada, presume-se que este prato de Verão começou a ser preparado no início do século XX. O tomate, originário do continente americano e ingrediente indispensável deste prato, só chegou à Grécia em 1818.

Nessa altura, os legumes eram comidos inteiros, crus e separadamente, pelo que se assume que a cultura de os misturar, dando origem a saladas, poderia ter vindo da mão dos imigrantes.

Parte de ser um prato muito fresco e fácil de preparar, a salada grega não tem muitas calorias; uma chávena pode ter cerca de 120 calorias, de acordo com o website FatSecret Spain.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *